CEMEI DR.JOÃO BAPTISTA PAINO PDF Imprimir E-mail

C.E.M.E.I. Dr. João Baptista Paino

Endereço: Rua Aristides de Santi, 187 - Azulville 
Telefone: (16) 3368-1843 - Orelhão: (16) 3368-0390 
E-mail:  Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

RESPONSÁVEL: Rafaela Vareda Goffredo Santini

 


Data de inauguração: 04/11/1983
Ato de autorização de funcionamento: Parecer CEE 1391/87
Ato de instalação: 02/01/1985
Autorização de denominação: Decreto nº057/1985

 

Histórico:
João Baptista Paino, nasceu a 26 de fevereiro de 1900, na cidade de Ribeirão Preto, filho de imigrantes italianos, vindos da Calábria e da Sicília. Quando ainda pequeno, fugindo da febre amarela, mudou-se para Itirapina, que era então um pequeno vilarejo. Passado o perigo da doença mudou-se com sua família para São Carlos. Fez seus estudos na infância e juventude na, já há muito tempo extinta Escola Dante Alighieri, onde atualmente funciona o CDCC, ligado a USP. Na juventude trabalhou com seu tio José Riga, que era joalheiro. Ai aprendeu o ofício de ourives. Passado algum tempo, tornou-se viajante para a  Casa Neftur, de São Paulo, vendendo jóias e artigos dentário por vários estados brasileiros. Voltando a residir em São Carlos, decidiu prestar exame na recém inaugurada Faculdade de Farmácia de Araraquara, atualmente pertencente à UNESP. Formado na primeira turma da referida Faculdade, abriu uma farmácia a rua Sete de Setembro, entre as ruas Alexandrina e São Joaquim. Participou da Revolução Constitucionalista de 1932, tendo entrando em combate. Por esta atuação foi por diversas condecorado, tendo recebido uma pensão no final de sua vida, por parte do Governo do Estado de São Paulo. Casou-se som a professora Clotilde de Castilho Andrade, com a qual teve dois filhos, José Roberto e Maria Helena. Seus filhos deram-lhe quatro netos. Não indo bem com sua farmácia, inclusive devido à sua generosidade com os pobres, fechou o estabelecimento. Mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro, então Capital Federal, para cursar Direito na Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil. Tendo se formado em Direito, voltou a São Carlos e começou a trabalhar no escritório de advocacia do Dr. Aldo de Cresci, depois de alguns anos, abriu seu próprio escritório, no mesmo local onde funcionara antes sua farmácia. Como advogado atuante, tornou-se conhecido e estimado no meio forense da cidade e defendeu, muitas vezes sem pedir remuneração, pessoas pobres e necessitadas. Desde a sua juventude escrevia versos e cultivou a poesia por toda a vida. Veio mais tarde a publicar vários livros intitulados “Verso Livre”. Ocupou a cadeira 102 na Academia Piracicabana de Letras. Recebeu o titulo de cidadão honorário de São Carlos no dia 28 de novembro de 1973. Faleceu a 6 de abril de 1985, aos 85 anos de idade. Seus restos mortais encontram-se no Cemitério Nossa Senhora do Carmo de São Carlos.
Fatos marcantes na Unidade Escolar:
Participação no JIM 1988 (Jogos Infantis Municipais), homenageando a África. As crianças tipicamente vestidas e pintadas dançaram músicas africanas.
Participação no JIM 1998 (Jogos Infantis Municipais), homenageando músicas regionais. As crianças vestidas a caráter dançaram chorinho.
Culminancia do Projeto sobre Costumes Indigenas – uma noite de exposição
A E.M.E.I. "Dr. João Baptista Paino" foi implantada sobre uma área publica do loteamento Azulville, situada na região leste da cidade. Localiza-se na bacia hidrográfica do Córrego do Gregório, em sua margem direita e na sub-bacia do Córrego do Simeão. Por ocupações irregulares, ao longo de décadas a mata ciliar do Córrego do Gregório não foi respeitada em sua largura, conforme determina o código florestal, entretanto, a do Córrego do Simeão acha-se preservada na sua totalidade, constituindo-se portanto de área de proteção ao manancial. O acesso à E.M.E.I. "Dr. João Baptista Paino" dá-se especialmente pela Avenida Comendador Alfredo Maffei (marginal ao Córrego do Gregório) até atingir a rotatória denominada Celeste Zanon, que se localiza na confluência dos referidos córregos, seguindo, após esta, pela Rua Aristides de Santi.